Receber notificações
  Facebook
  RSS
  Whatsapp
 

Polícia revela motivo da discussão que terminou com morte de policial

A polícia trabalha com a hipótese de que uma sétima pessoa teria participado do assassinato do policial

 

O comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Scheiwann Lopes, em coletiva na manhã desta segunda-feira (05), disse que há indícios de um sétimo suspeito na morte do policial Agamenon Dias e que a motivação do crime está relacionada à briga por vez em uma fila de atendimento no posto de gasolina onde a vítima foi assassinada. 

“A princípio, foi uma discussão numa fila para compra de produtos. A loja estava fechando e tinha um setor apenas com uma janelinha aberta para comercialização de produtos e durante a fila teve discussão de quem era a vez, algo desse tipo. O DHPP está investigando para apurar a dinâmica e os envolvidos”, destacou o comandante.

O coronel Scheiwann Lopes informou também que a polícia trabalha com a hipótese de que uma sétima pessoa teria participado do assassinato do policial.

Ontem (04), foram presas seis pessoas suspeitas do crime, sendo três menores, dois de 16 anos e um de 17. O comandante da PM-PI relatou que não há mais dúvidas sobre a participação das pessoas presas e que o atirador já foi identificado como Tiago Rocha Santiago Nascimento.

O crime 

Agamenon Dias Freitas Júnior, de 31 anos, foi morto na madrugada deste domingo (04) a tiros na zona Sudeste de Teresina. O soldado Freitas, como era conhecido, ingressou nos quadros da Polícia Militar em 2023 e estava lotado na Cavalaria em Teresina.

O crime aconteceu por volta das 3h30 em um posto de gasolina localizado na Avenida dos Expedicionários. O policial estava à paisana quando foi morto.

No domingo (04), a Polícia Militar conduziu seis suspeitos de participação na morte do militar Agamenon Dias Freitas Júnior para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

Entre os presos está o homem apontado por atirar em Agamenon Freitas. A Polícia Militar confirmou a participação de menores no crime.

Durante o cumprimento da prisão dos envolvidos, a polícia encontrou celulares, uma balança, R$ 35 mil em dinheiro, uma pistola, munições, duas motocicletas sem placa e seis bicicletas na residência de um dos suspeitos.

O dinheiro foi encontrado na casa de Pedro Vitor Cardoso Almeida, 18 anos, no bairro São João. Outros dois suspeitos do crime também foram presos na região. São eles: Tiago Rocha Santiago Nascimento, 29 anos; e Wicloas Neves Portela, 20 anos.

Fonte: Cidade Verde

Mais de Polícia