3/3: Obra no Colégio Estadual - Poucos trabalhadores + pouco material = ritmo lento

 A reforma e ampliação do CEPTI Professor Raimundinho Andrade, o tradicional Colégio Estadual de Campo Maior, segue a passos lentos. A obra do programa Pró-Piauí, do Governo do Estado, tem orçamento de R$ 1.154.520,30 e previsão de conclusão de 270 dias. 



O projeto prevê a construção de amplo refeitório, laboratórios de robótica, biblioteca virtual, quadra poliesportiva e banheiros com vestiários, o que permitiria a escola ser transformada em uma unidade de ensino de tempo integral. 


O ritmo dos serviços, o baixo número de trabalhadores e  a pouca quantidade de material usado na construção civil presente no local leva a crer que será mais uma obra que não respeitará o prazo. 




Até o momento, foram realizados os trabalhos de pequenos reparos. O “grosso” da obra, que é a construção do auditório, ficou pela metade, enquanto as melhorias no setor de esporte continua sem previsão de início.




3/3 - Essa é a terceira de uma série de três matérias que o Diário de Campo Maior publica nesta semana mostrando o descaso do governo do Piauí com obras em Campo Maior. 

Postar um comentário

0 Comentários