Situação da segurança em Campo Maior vai à mesa do governador

 



O avanço da criminalidade em Campo Maior voltou a preocupar. Os constantes casos de assaltos e assassinatos motivaram uma corrida de lideranças políticas ao governador Wellington Dias com essa pauta. Os motivos apresentados: baixo efetivo e precariedade de estrutura das polícias e insatisfação de parte da tropa com o comando do 15º BPM. 

As soluções

Os líderes apresentam uma série de sugestões. Dentre elas: reforço policial, operações, reenvio da Força Tarefa e troca de comando. Essa última é tratada como “último caso” pelo chefe do Executivo. A Secretaria de Segurança sinaliza o envio de reforços para o município. 

Wilson Spíndola

Candidato da terceira via nas eleições do ano passado em Campo Maior, o advogado Wilson Spíndola permanece como oposição. À coluna, negou aproximação com o prefeito Joãozinho Félix. Sobre sua presença na inauguração do Centro de Especialidades, explicou que realizou às honras de casa ao seu deputado estadual, Marden Menezes, e o pretenso candidato do PSDB ao governo, Sílvio Mendes.

Foto: Reprodução / Facebook 


Fiscalização 

Clínicas de Campo Maior são alvo de fiscalizações do Ministério Público quanto ao lançamento ambientalmente seguro em rede de esgotamento dos resíduos decorrentes de seus serviços. Licenciamento ambiental e sanitário estão entre as exigência do órgão ministerial. Até empreendimentos que já assinaram Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) estão sendo averiguados novamente. A mesma medida seria louvável no setor industrial do município. 

Juazeiro do Piauí 

A instabilidade política em Juazeiro do Piauí com a realização de uma eleição suplementar não fez bem para a logística de vacinação contra a Covid-19. O município é o último do Piauí quanto a porcentagem da população totalmente imunizada contra o novo coronavírus. Apenas 16,65% recebeu as duas doses ou a dose única. A liderança é do município de Isaias Coelho que já vacinou 54,43% de sua população. 

Equatorial 1

É grande a quantidade de denúncias recebidas pelo Ministério Público e pelo Procon de Campo Maior com reclamações contra a Equatorial Piauí. A maioria relatando queima de equipamento pela péssima prestação do fornecimento de energia. 

Equatorial 2 

Chamou atenção uma denúncia de uma mulher recebida pelo MP. Segundo ela, a concessionária requer dois laudos técnicos para cada aparelho danificado para a abertura de um processo de ressarcimento. “Só que pra eu levar em técnico eu teria que pagar cada um deles pra eles me darem o laudo. Só que os técnicos não vão fazer o "orçamento" dos aparelhos de graça. Eles vão cobrar pra abrir o aparelho, pra ver o que queimou. Eu não tenho como pagar”. A consumidora perdeu ventilador, micro-ondas e uma televisão. “E tem um porém. Na minha cidade os técnicos não são credenciados e não querem dar laudos nenhum”, completo. A Equatorial da propaganda é uma; a Equatorial da realidade é outra.

Postar um comentário

0 Comentários