Comarca de Campo Maior distribuiu 22 medidas protetivas no 1º semestre

 

A comarca de Campo Maior já distribuiu um total de 22 medidas protetivas no primeiro semestre de 2021 para mulheres vítimas de violência, apontam os dados da sessão de estatísticas do Tribunal de Justiça do Piauí.  O levantamento aponta que Teresina (801) Esperantina (152) e Parnaíba (105) são as cidades com as maiores quantidades. 


Os números mostram que a distribuição de medidas protetivas no Piauí aumentou em 30,7% quando comparado com primeiros semestres de 2020 e 2021. As medidas protetivas saiu de 1.576 no ano passado e chegou a 2.060 neste ano.


O juiz auxiliar da presidência do TJ-PI, Rodrigo Tolentino, comenta que o aumento dos pedidos de medidas protetivas de urgência pode ser atribuído aos seguintes fatores: I) o aumento real dos casos de violência doméstica; II) maior conscientização das mulheres vítimas de violência doméstica da importância de encaminhar as denúncias às autoridades competentes; III) a melhoria das políticas públicas de enfrentamento à violência doméstica, em um contexto geral.


“As medidas protetivas de urgência têm por finalidade a proteção da mulher vítima de violência doméstica baseada no gênero, a fim de preservar sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual e social”, diz.


O colunista do Diário de Campo Maior, Otávio Neto, relevou em sua coluna desta semana que a Delegacia Regional de Campo Maior registrou 76 boletins de ocorrência por casos de violência doméstica na região no período entre 01 de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2020. 


O jornalista mostrou ainda que o Ministério Público pediu mais efetividade das policiais Militar e Civil de Campo Maior no combate e resolução de casos de violência contra a mulher no âmbito doméstico e familiar nas cidade de Campo Maior, Nossa Senhora de Nazaré, Sigefredo Pacheco e Jatobá do Piauí.