CASO ADRIANA: Defesa vai recorrer; promotor descarta novo julgamento

O advogado Dércio Mota, que lidera a defesa de Francisco de Assis, condenado a 31 anos de prisão pela morte da Professora Adriana Tavares e pela tentativa de homicídio contra sua ex-companheira, Maria das Dores, afirmou que irá recorrer da sentença proferida juiz Múccio Miguel Meira dentro do prazo de cinco dias. 


Leia mais: VÍDEO: “De Assis” afronta promotor e juiz após receber sentença


Por outro lado, o promotor de Justiça Luciano Lopes avaliou que o julgamento ocorreu dentro dos parâmetros estabelecidos pela legislação e que a pena decidida pelos jurados foi justa em relação aos crimes praticados pelo condenado. Em entrevista ao DIÁRIO DE CAMPO MAIOR, o promotor afirmou que é pouco provável um novo julgamento.


“Houve Justiça, sim, em Campo Maior. Acreditamos que é extremamente improvável que haja um novo júri. A defesa sempre vai alegar nulidade, querer um novo julgamento, mas achamos que é muito pouco provável”, disse o promotor. 


“O Ministério Público ficou muito pela atenção que a sociedade e os jurados deram a esse caso. Entendemos que houve um julgamento justo, uma pena justa ao condenado. A condenação foi pelo homicídio qualificado contra a Professora Adriana que ele cometeu para assegurar a impunidade, para que não houvesse testemunha em relação ao crime que ele pretendia contra a Professora “Das Dores”, e condenado pela tentativa de homicídio qualificado contra a ex-companheira”, concluiu Luciano Lopes. 


Postar um comentário

0 Comentários