Sindicato denuncia caos no Hospital Regional de Campo Maior


O Hospital Regional de Campo Maior (HRCM) está passando por uma situação muito delicada e que atinge diretamente funcionários e pacientes. Segundo Erick Ricelly, presidente do SENATEPI, há dois meses, a bomba do poço está sem funcionar, causando transtorno a todos. Vídeos mostram a falta d’água nas torneiras e um caminhão-pipa que foi contratado para abastecer a unidade de saúde. 

“Muita gente está preocupada, pois não se sabe se essa água é própria para consumo humano. Além disso, só tem água durante o dia. À noite, as torneiras ficam vazias”, comentou o presidente do SENATEPI. 





Segundo funcionários do hospital, a situação é mais grave que se imagina. A falta d’água atinge todos os setores e funcionários estão levando água de casa para o trabalho. 

“Laboratório, pronto-socorro, clínica cirúrgica, clínica médica Covid, hospital inteiro sem água. Durante o dia não tinha lençóis, pois não foram lavados devido à falta de água na noite anterior. Essa situação já se estende já mais de dois meses e nada de resolver. O atendimento tá normal, alguns profissionais trazem água de casa para lavar as mãos”, relatou um funcionário do HRCM. 

Além dessa situação, o HRCM também tem que lidar com os casos de Covid-19, que só crescem na região. O Hospital informou na última semana, por meio de nota, que estava apenas com quatro (04) leitos disponíveis para pacientes infectados com o novo coronavírus. Ou seja, um percentual de quase 80% de ocupação do total de leitos. Situação preocupante e que pode piorar nos próximos dias. 

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, Campo Maior já registra 3.214 casos de Covid-19 e 62 mortes. A população não deve relaxar e manter os cuidados de prevenção evitando aglomeração, mantendo distanciamento social, usando máscaras e lavando as mãos com água e sabão e/ou álcool em gel.