Tonho Veríssimo tem recurso negado e nova eleição é mantida em Juazeiro

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), negou nesta quinta-feira (24) um pedido impetrado pela defesa do prefeito eleito do município de Juazeiro do Piauí, Tonho Veríssimo (PT), para garantir sua diplomação e, consequentemente, a posse no cargo no dia 1 de janeiro.

Na decisão, a defesa do prefeito eleito alegou que a decisão TSE de determinar novas eleições em Juazeiro contrairia o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF). O ministro Luis Roberto Barroso afirmou, contudo, que não contrariar uma decisão tomada por unidade pelos demais membros da corte e manteve nova eleição na cidade.


ENTENDA 

Tonho Veríssimo foi eleito com 2.327 votos, equivalente a 52,25% dos votos válidos, derrotando o atual prefeito, Zevaldo (PSD), que obteve 1.999 votos, o equivalente a 44,88%. Porém, um mês após a eleição, o TSE indeferiu por unanimidade o registro de candidatura do prefeito eleito e determinou novas eleições na cidade. 

O TRE-PI havia autorizado a candidatura de Tonho Veríssimo ao entender que o crime pelo qual ele foi condenado, operar uma rádio clandestina, não tinha relação com a Administração Pública e não constava do rol de crimes constantes da Lei Complementar nº 64/1990, a Lei de Inelegibilidades. 

Porém, o TSE analisou um recurso da coligação Unidos por Juazeiro contra a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) e teve um entendimento contrário. A coligação de Tonho recorreu da decisão ao Supremo Tribunal Federal (STF). 

Postar um comentário

0 Comentários